Voluntariado Missionário VIDES – 4 jovens partem em missão


Voluntariado Missionário VIDES – 4 jovens partem em missão

Ao longo de 2009 e depois de um tempo de formação e alguma experiência apostólica no Centro  Social Nª Sª de Fátima na Galiza, na Casa de Santa Ana, em Setúbal e Abrantes, quatro jovens, partiram em missão AD Gentes.

Ana Isabel natural de Fronteira em Fevereiro largou o emprego partiu um ano para Chiure – Moçambique. No seu encontro com Jesus, nasce a motivação de fundo. Ajudar o próximo, ser solidária com os mais necessitados. Na comunidade Educativa é uma presença alegre, simples sempre pronta a ajudar a colaborar.

Sara natural de Lisboa, gestora na Nestlé. A empresa concedeu-lhe um ano de licença sem vencimento. Em Abril parte movida pelo chamamento de Jesus. Desta vez é Timor que a acolhe na nossa casa de Laga. Ali ensina português às Irmãs juniores e às crianças.

Em Maio é a vez da Ana Oliveira de Leiria e da Marta Margarido de Abrantes. As duas seguem as mesmas pegadas e lá foram também para Timor.

Uma jovem da Chainça- Abrantes fez uma entrevista à Marta antes de partir.

Eis um pequeno resumo:

Qual foi a sua motivação para fazer voluntariado?

– a motivação creio ter nascido comigo. Um sonho que tenho vindo a adiar e que agora se vai tornar realidade. Colaborar com a minha quota-parte para um mundo mais humano, mais feliz, dar-me, ajudando quem precisa.

O que a levou a ir para Timor?

– Este é um País que ainda tem como língua oficial a nossa língua, apesar  de apenas 5% da população a utilizar. No projecto que vou assumir na comunidade das Filhas de Maria Auxiliadora em Venilale vou ter oportunidade de ensinar um pouco português.

Que trabalho vai desenvolver em Venilale?

– Vou estar num orfanato com cerca de 100 crianças e aí tentarei ajudar a passar um bocadinho do nosso português, vou tentar colaborar nas tarefas diárias … enfim em tudo o que puder ajudar estarei lá para isso.

Quais as dificuldades que poderá encontrar?

– Creio que a primeira dificuldade será o fazer-me entender uma vez que as meninas falam Tétum, depois a diferença de hábitos, de costumes…

Como reagiu a sua família?

– inicialmente com surpresa, espanto, preocupação. Hoje já apoiam a minha decisão de partir para Timor

Que mensagem deixa aos jovens de hoje?

– Acreditar que é possível exercer o bem, Acreditar que é possível deixar um bocadinho de nós, acreditar que a vida só faz sentido dando-nos aos outros. Se acreditarem em tudo isto, então é só colocar a energia da juventude ao serviço da causa que escolherem.

É tão fácil ser solidário verdadeiramente….Basta querer.

FMA Chainça

%d bloggers like this: