Histórias para contar e encantar…


Orientações gerais para
os “Bons dias” – Junho 2010
 
Quando o caminho se faz vocação…Fogo no Coração
 
Entramos no mês do Sagrado Coração de Jesus. Um coração repleto de amor. Desse amor, apaixonou-se D. Bosco e soube com a vida transmiti-lo aos jovens. A sua única paixão era amar a Deus e torná-lo conhecido na sua realidade de amor e chamar todos os jovens a realizarem-se neste amor.
 
Madre Mazzarello, mulher apaixonada por Deus, viveu o Amor de uma forma ardente, simples e verdadeira. O fogo do amor a Jesus e a Maria levaram-na a abrir horizontes jamais impensáveis. 
 
Assim, a nossa primeira vocação é o amor, para sermos sinal mais no mundo e na Igreja.
 
EM JUNHO…
3 de Junho – Corpo de Deus
10 de Junho -Dia de Portugal
13 de Junho – Stº António de Lisboa
24 de Junho – São João Baptista
29 de Junho – São Pedro e São Paulo
HISTÓRIO DO GIRASSOL
Num jardim, rico e com muita variedade de flores, crescia, mesmo no centro, uma planta sem nome.
Era robusta, mas sem vida, e sem perfume. Para as outras plantas do jardim não era mais do que uma erva e nem lhe dirigiam a palavra… Mas a pequena planta tinha um grande coração e cheio de ideais.
De manhãzinha, quando os primeiros raios de sol pousavam nas plantas do jardim, a planta sem nome acolhia-os a todos, um após o outro, transformando toda a luz em força vital. Em pouco tempo o seu pé torna-se alto com quase dois metros de altura.
Ora as outras plantas começaram a olhá-la com respeito. A planta sem nome tinha um sonho: Fazer com que o seu caule se virasse para o sol, assim nunca mais deixaria o sol.
-Sim, sim “ – especulavam as margaridas–“apaixonou-se pelo sol”… e todas se riam daquela paixão! O fim de todas as murmurações, terminaram quando da planta sem nome desabrochou uma magnífica flor che se assemelhava, de um modo extraordinário ao sol.
Era grande, redondo, com uma cabeleira de pétalas, e com o seu rosto bonacheirão, continuava a seguir o sol…
… Assim as cravinas deram-lhe o nome de GIRASSOL… E daí em diante todos lhe chamavam assim.
Naquele dia foram as “bocas de leão” que dirigiram a palavra ao Girassol:
-Mas porque olhas sempre para o alto? Porque é que nunca olhas para nós? E somos plantas como tu!
-Meus amigos, sinto-me muito feliz por viver convosco neste jardim, mas eu amo o sol.
Ele é a minha vida e não posso deixar de olhar para ele. Eu sigo-o e sinto que já me assemelho um pouco a ele.. Que quereis fazer? O sol é a minha vida e eu vivo para ele!…
 
Reflexão
A história do nosso girassol é a procura de uma aproximação que dá vida. A Eucaristia
é o sol que dá a vida…
 …nós somos o girassol.
Na Eucaristia Jesus dá-se a Si mesmo a cada um de nós. Em nós o Amor de Deus revela-se, 
manifesta-se e torna-se alimento para cada homem.

A pequena hóstia branca, que o sacerdote coloca nas nossas mãos… é DEUS QUE SE FAZ ALIMENTO. A pequena hóstia branca nas nossas mão é DEUS QUE SE FAZ PÃO PARA NÓS, PARA CADA UM DE NÓS.
PÃO é portanto, o nome de DEUS.
 
Oração

SENHOR
tantas vezes Te pedi:
porque não fazes nada
por quem morre de fome.
Porque não fazes nada
por quem se encontra doente.

Porque não fazes nada
por quem sofre as injustiças.
Porque não fazes nada
por quem vive na guerra.
SENHOR, NÃO TE COMPREENDO!

Mas depois, Tu respondeste:
”Porque não entendes? 
Eu fiz tanto. 
Fiz tudo aquilo que podia fazer: 
CRIEI-TE!

Senhor, agora percebo.
Ensina-me a ser as Tuas mãos.
Ensina-me a ser o Teu coração.
Ensina-me a ser o Teu dom.
Ensina-me a ser
EUCARISTIA


AMOR DE MÃE!

«Um dia, um homem veio à minha casa e disse-me:
– Aqui perto há uma família hindu com oito filhos e que já alguns dias não comem bem.
Ao ouvi-lo fui buscar uns sacos de arroz e saí com a intenção de ir lá levar o arroz para que naquela noite eles tivessem algo para comer.
Nos rostos daquelas crianças era visível o olhar de fome, como poucas vezes vi. E apesar da necessidade de cada um, a mãe teve a coragem de dividir o arroz em porções iguais e saiu com uma porção na mão.
Quando regressou perguntei:
– Onde foi? O que foi fazer?
– Também eles têm fome. Respondeu a mulher.
Uma família de religião muçulmana vivia na casa em frente e tinha outros tantos filhos. Aquela mãe sabia que também eles tinham fome.
O que mais me comoveu é que ela sabia, e foi generosa até ao heroísmo da privação, de não querer uma porção para si.
Isto é realmente algo de extraordinário! Isto é amor de verdade: aquela mulher partilhou mesmo sabendo que faltaria na sua mesa, mas decidiu partilhar.
Mas o mais extraordinário foi olhar para os rostos dos oito filhos. Eles compreenderam o que a mãe tinha feito. O gesto da sua mãe ensinou-lhes o que é o amor autêntico.»
 
Reflexão
Dá que pensar o gesto desta mulher. O seu gesto foi uma verdadeira lição de vida para os seus filhos. Para sempre ficará gravado no seu coração e na sua mente quanta alegria existe em partilhar. O amor autêntico leva a pensar em todos, não só aos que me são mais queridos. O amor verdadeiro procura o bem do outro. Neste amor vale a pena apostar. Este é o amor de Deus, este é o amor que Maria recebeu e doou. Existe por acaso algo mais bonito quando o coração se abre ao Amor autêntico que toca e faz bem à vida do outro? E o outro é a família, os amigos, as pessoas que encontro no meu caminho, os vizinhos, os professores…
 
Oração
Avé- Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.
 


O DIAMANTE COM FENDAS!

Um homem tinha um grande diamante, o diamante mais precioso do mundo. Mas um dia ele percebeu que esse diamante tinha uma fenda, que parecia aborrecê-lo um pouco. 
Muitos tinham aconselhado a que o levasse a um negociante e que o cortasse e tirasse outros mais pequenos. Mas o senhor olhou e olhou, procurou e procurou alguém que lhe desse outra solução mais satisfatória. Até que um dia encontrou-se com um cortador de diamantes, perito, um verdadeiro mestre. O cortador pegou nos diamantes, contemplou e pôs mãos à obra. Com seus instrumentos e muita paciência foi dando forma ao duro objecto, partindo das pequenas fissuras que tinha o diamante, até que o apresentou ao seu proprietário. Este ficou chocado: tinha diante de si uma linda rosa. E a partir daquele dia, a maravilhosa rosa talhada do diamante, passou a ser admirada por todos.
 
Reflexão
Esta pequena história, baseada num facto verdadeiro, tem alguns ensinamentos possíveis: 
um desses ensinamentos pode ser: a vida é cheia de surpresas. Em cada vida, como na superfície do diamante, existem fissuras, fendas, problemas, dificuldades, adversidades, obstáculos… que nos podem “estragar” ou fazer sofrer. Porém, este mesmo diamante, visto por um especialista, orientado por um professor, por um mestre, pode ser transformado em algo que torne a realidade mais bonita.
E ainda estando no mês de Maio podemos recordar Maria, que também ao longo da sua vida teve dificuldades. Mas Ela mostrou a sua valentia e soube colocar-se nas mãos do Mestre que a trabalhou por excelência, sendo hoje reconhecida e acolhida como nossa Mãe.
 
Oração
Avé- Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amén.
 


DESEJO-TE TEMPO!

Não te desejo um presente qualquer,
Desejo-te somente aquilo que a maioria não tem.
Tempo, para te divertires e para sorrir;
Tempo para que os obstáculos sejam sempre superados
E muitos sucessos comemorados.
Desejo-te tempo, para planear e realizar,
Não só para ti mesmo, mas também para doá-lo aos outros.
Desejo-te tempo, não para ter pressa e correr,
Mas tempo para encontrares a ti mesmo,
Desejo-te tempo, não só para passar ou para vê-lo no relógio,
Desejo-te tempo, para que fiques;
Tempo para te encantares e tempo para confiar em alguém.
Desejo-te tempo para tocar as estrelas, 
E tempo para crescer, para amadurecer.
Desejo-te tempo para aprender e acertar,
Tempo para recomeçar, se fracassar.
Desejo-te tempo também para poder voltar atrás e perdoar.
Para ter novas esperanças e para amar.
Não faz mais sentido protelar.
Desejo-te tempo para ser feliz.
Para viver cada dia, cada hora como um presente.
Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tempo. Tempo. Muito tempo!

Oração
Avé- Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amén.
 


A REGATA

O grande dia se aproximava…Era o dia da grande aventura. Todos os insectos daquele jardim estavam ansiosos para a regata de folhas secas pela fonte. Formiguinhas, besourinhos, joaninhas, borboletas, estavam todos lá.
Tica, uma formiguinha muito activa que por ali morava não poderia ficar de fora. Preparou tudo com muito cuidado pois estava sempre muito preocupada com suas performances. À medida que o grande dia se aproximava, mais preocupada com a sua folha e equipamentos ela ficava. Ela mesma tinha preparado a folha para a navegação porém sentia que algum insecto mal intencionado poderia fazer algum tipo de sabotagem à sua folhinha. Sendo assim, resolveu, por precaução, preparar duas folhas. Se algum insecto tentasse qualquer sabotagem, ela teria outra folha para sair na regata.
Ela era uma formiguinha muito esperta e como possuía duas folhas para a regata, foi tentar praticar um pouquinho antes do acontecimento. Levou os objectos necessários para essa aventura mas acabou por esquecê-los dentro da outra folha que ficou nas margens da fonte.
Quando Tica percebeu já estava no meio da fonte e sem os apetrechos. Um sentimento de medo e dúvida sobre o que tinha acontecido apoderou-se dela e os olhos encheram-se de lágrimas ao olhar para aquele cantinho onde os apetrechos deveriam estar.
O problema era que naquele mesmo dia seria a grande regata. E se não conseguisse chegar a tempo de pegar nos equipamentos que estavam na sua outra folha? E se alguém tivesse escondido todo o equipamentos na outra folha de propósito? Com seus olhinhos fixos naquele cantinho da folha, Tica, no meio do seu desespero, ouviu uma voz que vinha de cima:
“Olha para mim”, disse um pernalta amigo, “não fiques preocupada, foste tu mesma quem deixou os equipamentos lá na outra folha. Eu vi tudo daqui de cima. Tem confiança que conseguirás.”
Por um estante, até aliviou. Cheia de coragem e segurança voltou as costas para cantinho onde estava o equipamento, colocou as patinhas na água e começou a remar. Em pouco tempo chegou à outra margem da fonte bem a tempo para a regata. Pulou para dentro da folhinha, nem pensou nas habituais desconfianças, pois sabia que mesmo que algo desse errado teria fortes patas para ajudá-la a vencer qualquer obstáculo. Ao fim da regata, sentiu-se feliz e segura. Perante qualquer imprevisto já sabia o que fazer.
 
Reflexão
Quando nos preparamos para grandes acontecimentos, não devemos ter medo nem pôr em causa as coisas e as pessoas. Dentro de nós temos de ganhar espaço para a confiança e a coragem. Todos temos capacidades para superar obstáculos, basta acreditar. Acreditar, é já meio caminho andado para se conseguir as coisas. Juntando a força de vontade chegaremos à meta com o sentido do dever cumprido. A nossa vida precisa desta confiança, desta força de vontade. Deixar de lado juízos, medos, dúvidas… à que arriscar. Como fez Jesus. 
 
Oração
Avé- Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amén.
 


CAMINHOS

Um dia alguém parou e reflectiu:

A vida é feita de caminhos.
Caminhos que levam, caminhos que trazem sonhos, alegrias, tristezas, amores e esperanças.
De qualquer forma, nada vem ou vai sem caminho.
O caminho é parte integrante das nossas vidas.
Os nossos primeiros passos foram treinados e aperfeiçoados para conquistar caminhos.
Uns perderam-se pelo caminho. Outros tiveram tudo para caminhar e outros, muita dificuldade para chegar.
Mas no fim de tudo, chegaremos  ao ponto final.
 
Deus, na sua infinita misericórdia, não nos abandonaria num deserto de incertezas.
Não nos deixaria à beira do caminho, condenando-nos a um fim sem propósitos.
Ele preparou-nos um caminho que nos levará de volta para casa: “Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida”.
O autor desta frase, é o autor da Vida. É o Alfa e o Omega. O Princípio e o Fim.
O único caminho que tem o poder para mudar o rumo da nossa história. É fonte de Vida para os que Nele confiam.
Segue os passos d’Aquele que pode conduzir-te para um caminho de paz… O autor da Vida: Jesus Cristo:“Eu sou o caminho, a verdade e vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim.”(Jo 14,6)

Reflexão
Se um dia acontecer, e se pararmos à beira do caminho, louvemos Aquele que para nós é Caminho, Verdade e Vida. Louvemos pelos passos dados ao longo do caminho, onde Ele sempre esteve, bem ao nosso lado, mesmo quando não nos apercebíamos. Louvemos o Autor da Vida, pelo dom da vida e pelo dom do Espírito que vivifica a nossa vida. Ganharemos o Céu, caminharemos para a eternidade, onde o Pai nos espera com imensa alegria, porque fomos capazes de seguir pelo Caminho, pela Verdade e pela Vida: Cristo.
 
Oração
Avé-Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amén.
 


JANELAS DA VIDA

Uma mensagem de coragem, de vida e de muita confiança em si mesmo:

  • Abre a janela do teu coração e deixa a alma arejar! Deixa que o vento leve para longe tudo o que é velho…
  • Livra-te do ranço amargo de toda a mágoa e do rancor, faz uma boa limpeza na vidraça da  janela do  coração, verás que a vida lá fora é melhor…
  • Deixa a luz inundar tudo: que apague as marcas das decepções, as tristezas das derrotas, o vício de sofrer por sofrer e acima de tudo, permite que o sol derreta o gelo da solidão…
  • Apaixona-te por um sorriso e sorri também; ilumina as janelinhas dos olhos, atrai colibris, borboletas, andorinhas, ama a pessoa que o espelho reflecte todas as manhãs…
  • Abre a janela dos desejos e esbanja sonhos, ninguém sonha em vão, e também não é verdade que os sonhos fogem, as pessoas é que desistem, e eles  morrem…
  • Alicerça os teus desejos com bases sólidas e constrói, dia-a-dia, degraus para chegares até à meta; depois aplaude, porque conseguiste!                                
  • Não permitas que nenhuma sombra pesada esconda o sol, que nenhuma parede aprisione o vento e cale o som da vida. Jamais te transformes em órfão da luz…
  • Desenha um horizonte além da tua janela, exagera nas cores e entremeie alegria entre folhas. Floresçam todos os campos que tua vista alcança e depois, vai além muito além….
  • Expõe na janela toda a alegria de viver, mostra ao mundo um rosto luminoso, uma face sem rugas de preocupações, prontinha para ser acariciada, admirada e beijada…
  • Amplia a essência da ternura, semeia a brisa num gesto, uma frase doce ou um suspiro. Seguramente alguma alma comovida escutará e devolverá o eco da tua voz…
  • Desvia o teu olhar das coisas tristes e infelizes, transforma em oásis toda a aridez que aparecer, deita fora as venturas e aventuras em abundância, através da tua janela….
  • Espalha poeira dourada de sonhos para além da janela, planta flores, colhe encantamento. Permite que as sementes da felicidade se espalhem e contaminem toda a terra…
  • Refaz as tuas crenças, redime equívocos, culpas, regenera erros e falhas, distribui perdão. Valoriza o melhor de cada pessoa e principalmente o melhor que existe em ti….

A FORÇA DA FÉ

Um jovem director de uma importante revista casou-se e teve três filhos: André, Marta e Gustavo.
Os primeiros oito anos foram muito felizes. Depois, foi suspendida a publicação da revista e teve de arranjar emprego num jornal diário. Mas também este emprego durou pouco.
As três crianças viam o pai cada vez mais triste. Este, à mesa, disse:
– É inútil! Na minha actividade de jornalista já não há lugar para mim. É horrível estar desempregado!
A esposa tentou animá-lo, falando-lhes das suas muitas capacidades, da esperança no futuro.
No dia seguinte, quando o pai se levantou, já as crianças tinham ido para a escola. Sentou-se à mesa para o pequeno –almoço. Ficou surpreendido ao ver que, no seu lugar, estavam os 3 mealheiros dos seus filhos. Ao lado um papel dizia: «Querido pai, acreditamos em ti»
O pai, sorriu, deu um murro na mesa e prometeu:
– A vossa fé não será em vão.
Actualmente é um dos editores mais importantes da Europa. Sobre a sua mesa de trabalho está sempre aquela papel que estava junto dos mealheiros dos seus filhos: «Querido, pai, acreditamos em ti! Assinam: André, Marta e Gustavo.» Mostra-o orgulhosamente aos amigos, dizendo:
– Este é o segredo da minha força!
 
Reflexão
Somos convidados a perceber como é grande a força da fé. E contar com a fé dos outros, mais força sentimos. Por vezes na vida precisamos de alguém que nos diga: acredito em ti. Deus acreditou em nós, só isto basta para andarmos para a frente e nunca desistirmos, mesmo nas tribulações e dificuldades da vida. Jesus disse: «Se tivésseis uma fé pequena como um grão de mostarda podíeis dizer a esta grande árvore: sai daqui deste terreno e vai plantar-te no mar. ela certamente iria obedecer-vos».
Fortaleçamo-nos na fé, para caminharmos na esperança e vivermos na caridade.
 
Oração
Avé-Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.
 


O QUE NOS FAZ CORRER

Era uma vez um famoso galgo que participava numa competição. Chamavam-lhe o Invisível pois era grande a sua velocidade. Os glagos correm atrás de presas: coelhos, aves, veados e outras. Mas este galgo era tão veloz que corria atrás de lebres. E todos queriam apostar nele.
Um dia, enquanto participava numa corrida, sentiu uma dor aguda numa pata. Então deixou de escutar os gritos dos que o animavam e pôs-se a olhar para uma lebre que estava a pouco distância dos seus olhos.
Descobriu que esta tinha um olhar sem expressão e se mantinha sempre à mesma distância. Depressa se deu conta que não era verdadeira: era de farrapos. Olhou para os dois lados e viu também que as lebres que perseguiam os seus companheiros galgos eram também falsas.
Nesse momento o galgo “Invisível”, sentiu-se ridículo e deixou de correr.
Imediatamente, as vozes que o aclamavam converteram-se em insultos. Mas o galgo fez ouvidos de surdo e, logo que o soltaram, desapareceu.
Interrogou-se a si próprio:
– Tem algum sentido que eu ande a correr atrás de uns trapos? Vou mudar de vida.
A partir daí, passou a andar, livremente, pelos parques e jardins da cidade, a brincar com quem encontrava.
 
Reflexão
Tantas vezes acontece assim como o galgo: corremos de um lado para o outro e nem sabemos porque corremos. Temos que fazer isto aqui, tenho de ir ali… enfim, o corre corre do quotidiano parece tomar conta de nós como fantoches. E não temos tempo para nos olharmos nos olhos, dialogarmos com calma, saborear a presença do outro que está comigo e nos enche de alegria. Quantas vezes Jesus parou junto de quem precisava; escutava, dava uma palavrinha de alento.
O que nos faz correr? Quem comanda a nossa vida? Elevemos os olhos para Deus e aprendamos d’Ele a fraternidade e a comunhão uns com os outros.
 
Oração
Avé-Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén
 


SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

Sagrado Coração de Jesus é uma devoção praticada pela Igreja Católica que se comemora todas as primeiras Sextas-feiras de cada mês. Consiste na veneração do Coração de Jesus.
A origem desta devoção deve-se a Santa Margarida Maria Alacoque, uma religiosa de uma Congregação conhecida como Ordem da Visitação. A Santa Margarida Maria teve extraordinárias revelações por parte de Jesus Cristo, que a incumbiu pessoalmente de divulgar e propagar no mundo esta piedosa devoção. Foram três as aparições de Jesus: A primeira, deu-se a 27 de Dezembro de 1673, a segunda em 1674 e, a terceira, em 1675.
Jesus deixou doze grandes promessas às pessoas que, aproveitando-se da Sua divina misericórdia, participassem das comunhões reparadoras das primeiras sextas-feiras. Disse Ele, numa dessas ocasiões a Santa Margarida: “Prometo-te, pela Minha excessiva misericórdia e pelo amor todo-poderoso do meu Coração, conceder a todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, a graça da penitência final; não morrerão em minha inimizade, nem sem receberem os sacramentos, e Meu Divino Coração lhes será seguro refúgio nessa última hora“.
 
Da liturgia do dia
A ovelha perdida
 
Jesus propôs-lhes, então, esta parábola:

«Qual é o homem dentre vós que, possuindo cem ovelhas e tendo perdido uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto e vai à procura da que se tinha perdido, até a encontrar? Ao encontrá-la, põe-na alegremente aos ombros e, ao chegar a casa, convoca os amigos e vizinhos e diz-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida. Digo-vos Eu: Haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não necessitam de conversão.

Reflexão
A liturgia propõe introduzir-nos no mistério do Coração de Jesus na figura do pastor. Deus apresenta-se como quem pessoalmente procura e segue o rasto das ovelhas e as conduz a pastagens escolhidas. Deus pastoreia o seu povo.

 
Lucas fala de desproporção: é tal o amor de Deus, pastor das suas ovelhas, que abandona as noventa e nove para procurar uam perdida. Esta é a imensidade do amor de Deus. o Coração de Deus, manifestado no Coração de seu Filho Jesus, é um coração cheio de amor aos seus. Trata-se de um amor activo, que se põe a caminho, que procura o outro, que faz festa pelo outro. seja o nosso coração assim:
 


AMAR COMO TU

Isso é o que eu sonho, Senhor, amar como Tu.
Quisera ter um coração imenso,
Em que coubessem todas as pessoas,
De todos os cantos da terra,
Dos cinco continentes,
Das mais variadas situações.
 
Quisera ter um coração como o Teu,
Que amasse sem condições,
Que não criticasse ninguém,
Que não julgasse nunca,
Que tivesse sempre compreensão,
Que ouvisse o outro com empatia,
Que adivinhasse a necessidade do irmão,
Que soubesse ser amigo incondicional,
Que fosse o companheiro fiel,
Que facilitasse a vida a toda a gente.
 
Dá-me um coração como o Teu, Jesus:
Grande, universal, acolhedor, terno,
Amoroso, alegre, empático e divino. 


REACENDER O DOM DE DEUS…

Deus dá-nos os dias para nos alegrarmos e darmos graças a Ele pelo dom da vida. Muitas vezes esquecemo-nos deste grande dom – a vida. E por vezes só a valorizamos quando a “vemos” por um fio. Agarramo-nos a tudo e a todos. Invade-nos o medo de a perder. Por isso agradecer pelo dom da vida, deve ser tarefa de todos os dias.
O nosso amigo S. Paulo escreveu a Timóteo, um grande amigo, reforçando esta ideia. Ora escutai:
«Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, por desígnio de Deus, segundo a promessa de vida que há em Cristo Jesus, a Timóteo, meu filho querido: graça, misericórdia e paz de Deus Pai e de Cristo Jesus, Nosso Senhor. Dou graças a Deus, a quem sirvo em consciência pura, como já o fizeram os meus antepassados, ao recordar-te constantemente nas minhas orações, noite e dia.
Por isso recomendo-te que reacendas o dom de Deus que se encontra em ti, pela imposição das minhas mãos, pois Deus não nos concedeu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de bom senso.
Portanto, não te envergonhes de dar testemunho de Nosso Senhor…»
 
Reflexão
S. Paulo começa com uma saudação e acção de graças e em seguida faz um apelo muito grande: “…recomendo-te quereacendas o dom de Deus que se encontra em ti…”. Aqui referia-se ao que Timóteo fazia na comunidade, mas são palavras também dirigidas a cada um de nós. Temos o dom da vida de Deus em nós e quantas maldades, indiferenças, mentiras contra este dom? Um dom dado gratuitamente e que nos dá vida, uma vida de paz e de verdade.
Depois continua: “Deus não nos concedeu um espírito de timidez, mas de fortaleza, de amor e de bom senso.” Só que às vezes, senão sempre, usamos a fortaleza, o amor e o bom senso segundo os nossos interesses pessoais e não em favor uns dos outros. Usamos a fortaleza confundindo com agressão e pensando ser o maior ou a maior para meter medo; o amor vivemo-lo no egoísmo e o bom senso fica em casa de férias!
Eis mais uma vez o convite: reacender o dom de Deus e do seu amor em nós. Se isto caracteriza Deus como Bom, nós que somos seus filhos, como nos caracterizamos? Não tenhamos vergonha de ter Deus em nós e de O testemunharmos no nosso dia-a-dia.
 
Oração
Olhemos para Maria, Ela que deu a vida para que Deus habita-se no meio de nós e em nós. Avé-Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.


PERMANECE FIRME…

Ao longo dos anos, muitos cristãos vão encontrando força no sacramento da Eucaristia, vivendo-o no seu quotidiano. Todos nós, ou praticamente todos, já recebemos Jesus quando fizemos a primeira comunhão. Aquele dia pode ter sido um dia bonito, mas o mais difícil é depois daquele dia.
É preciso ser forte, perseverante e não se deixar levar pelas ideias tantas vezes negativas em relação a este sacramento. Sendo fortes interiormente e seguindo o que achamos melhor para nós é uma luta constante de cada dia, de cada cristão, mas é possível permanecer, assim nos diz S. Paulo:
«Tu, porém, seguiste de perto o meu ensinamento, o meu modo de vida e os meus planos, a minha fé e a minha paciência, o meu amor fraterno e a minha firmeza, as perseguições e sofrimentos que tive de suportar em Antioquia, Icónio e Listra. Que perseguições tive de suportar! Mas de todas elas me livrou o Senhor. E assim também todos os que quiserem viver a fé em Cristo Jesus serão perseguidos. Quanto a esses perversos e impostores, irão de mal a pior, extraviando outros e extraviando-se a si próprios. Tu, porém, permanece firme naquilo que aprendeste e de que adquiriste a certeza, bem ciente de quem o aprendeste. Desde a infância conheces a Sagrada Escritura, que te pode instruir, em ordem à salvação pela fé em Cristo Jesus. De facto, toda a Escritura é inspirada por Deus e adequada para ensinar, refutar, corrigir e educar na justiça, 17a fim de que o homem de Deus seja perfeito e esteja preparado para toda a obra boa.
Reflexão
S. Paulo foi mesmo perseguido por pessoas que o queriam eliminar, hoje a perseguição pode ser comparada quando nos dizem que a Igreja não presta, não vale nada; a oração é inútil, ter fé não leva a lado nenhum e não ajuda; ir à catequese, à missa que seca… é uma perseguição diferente… é a perseguição de quem não está em paz e não sabe ainda que rumo dar à sua vida, por isso a paz e a alegria dos outros incomoda.
Se acreditamos, não tenhamos medo de ir em frente, não tenhamos medo de escutar a Palavra de Deus e de a pôr em prática. Diz S. Paulo: permanece firme naquilo que aprendeste e de que adquiriste a certeza.
Os que vivem longe de Deus, terão a sua recompensa. Diz S. Paulo: Quanto a esses perversos e impostores, irão de mal a pior, extraviando outros e extraviando-se a si próprios.
Deixemos que a Palavra de Deus nos oriente e nos ilumine e encontraremos a paz.
 
Oração
Avé-Maria … Nossa Senhora Auxiliadora, rogai por nós. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.

Últimas notícias

%d bloggers like this: