Tempo sem tempo…


“Não tenho tempo! Estou com pressa!… Quando tiver tempo faço isso!… Agora não posso…” Estas expressões são cada vez mais comuns no dia-a-dia de cada um de nós… e não adianta negar pois o trabalho, o stress e a crise leva-nos a utilizar estas palavras vezes sem conta. No entanto, acho que todos devíamos deixar de dizer “que estamos sem tempo” tantas vezes… acho que devíamos guardar um pouco do nosso tempo precioso para as coisas realmente importantes… Esta foi uma lição que aprendi este Verão, e que me foi ensinada, com muito empenho, pelas doentes da Casa de Saúde das Irmãs Hospitaleiras de Condeixa-a-Nova!

Há um ano atrás aceitei guardar algum do meu pouco tempo para dedicar a uma nova actividade: o voluntariado pelas missões! Desde então fiz todo o percurso da formação para o voluntariado, donde saíram duas equipas para fazer missão na nossa terra: Portugal! Uma das equipas esteve na Casa de Saúde de Braga e a outra equipa, da qual fiz parte, esteve na Casa de Saúde de Condeixa-a-Nova (casa onde estão internadas temporária ou permanentemente mulheres com doenças do foro psiquiátrico). O trabalho desenvolvido pela minha equipa (constituída por 4 elementos na primeira semana e por 3 na segunda semana) foi dar o apoio necessário nas horas da higiene e das refeições das doentes e dinamizar actividades de entretenimento nas manhãs e tardes delas. Esta última tarefa foi a mais importante e aquela que me deu bastante satisfação cumprir.

Imaginem uma casa gigante onde estão cerca de 350 mulheres doentes (algumas sem qualquer autonomia), muitas delas sem família e as que a têm poucas visitas recebem. Agora imaginem essas doentes todas cheias de vontade de dar beijinhos e abraços a quem por lá aparece… pois bem, resumindo os meus dias lá na Casa, posso dizer que os passei entre abraços, beijinhos e sorrisos.

O melhor de tudo nessas duas semanas que roubei ao tempo, foi todo o tempo que lá passei… foi um assalto bem sucedido… e só foram duas semanas…

O que aprendi com as doentes? Aprendi a lição que vos quero passar:

“O sonho do mundo ideal vive dentro de nós, dependendo de nós para ser realizado! Somos nós que devemos sorrir para as pessoas que passam por nós, somos nós que devemos tomar a iniciativa de dar o abraço, de dizer “bom dia” a quem passa, de desejar “uma boa noite” a quem está perto de nós, de dar a mão ao mendigo que escorregou na calçada e ajudá-lo a levantar, e de muitas outras coisas tão simples mas que fazem toda a diferença!

O sonho só se torna realidade se nós quisermos roubar tempo ao tempo e mudar as nossas prioridades!”

%d bloggers like this: